Conde Design Logo

CÓDIGOS BASEADOS NA FORMA 3/3.

No último artigo da série, apresentamos dois projetos onde códigos urbanos baseados na forma estão sendo implementados.
15 Mai 2019

Implementação

Varias formas de códigos podem ser utilizadas. Códigos mandatários podem ser produzidos para parcialmente ou completamente substituir o plano vigente para uma área em particular. Tal estratégia exige que o plano urbano e os regulamentos sejam totalmente integrados, aumentando sua complexidade e portanto vulnerabilidade.

Códigos que sejam estabelecidos como opcionais facilitam a implementação de padrões para o desenvolvimento de uma área. Apresentados como alternativa voluntária, podem ser produzidos por governos ou empreendedores privados onde estes têm liberdade dentro de parâmetros claros. Sem força de lei, não tem assegurada a sua eficácia, porém apresenta grande potencial se combinado à estratégias em que sua aplicação auxilie designers a atingir a qualidade esperada para os espaços, facilitando assim o proceso de aprovação de um empreendimento.

Uma outra forma de regulamentar o resultado físico de empreendimentos é através de códigos paralelos. Produzidos como um conjunto de regras adicionais aos regulamentos e zoneamento vigentes, são estabelecidos por empreendedores e governos para garantir a qualidade de espacos públicos e privados de um empreendimento em particular, e se tornam mandatários dentro de uma área específica.

Estudo de Caso – QSTP e QRDC

Qatar Research & Development Center é um precinto de pesquisa parte do Qatar Science & Technology Park, um parque de pesquisa e desenvolvimento localizado em Education City, à oeste de Doha, que fornecer o ambiente necessário para acelerar a comercialização de pesquisa e dar suporte a inovação e empreendedorismo. Neste empreendimento, em dois momentos a interface do plano director com o sistema LEED foi fundamental para que os objetivos de sustentabilidade fossem alcançados.

Masterplan para QSTP

O masterplan para QSTP definiu a forma urbana desejada para que as principais estratégias de sustentabilidade fossem atingidas, dentre elas as seguintes.

– O planejamento de um sistema de espaços urbanos que combinasse sistemas de infraestrutura inteligente como tratamento de águas pluviais, de esgoto, de coleta de residuos sólidos, de irrigação, etc.

– Uma hierarquia clara de espaços verdes e conexões com bairros vizinhos e transporte público.

– O planejamento da orientação de corredores e blocos de edifícios que maximizasse o sombreamento de estruturas e espaços abertos e o uso do vento para reduzir a temperatura de tais espaços no verão.

– O planejamento de tipologías de edifícios que possibilitasse uma ocupação compacta e de baixo gabarito, prevendo a interação de edifícios e espaços abertos.

A pedido do cliente, o Plano Diretor deveria deitar as bases para que os futuros empreendimentos dentro do Parque pudessem obter certificação LEED. No nível do planejamento, na ausência de um sistema específicos para campuses educacionais ou de pesquisa e desenvolvimento, a quipe de projeto adotou o sistema LEED ND para realizar uma leitura cuidadosa dos resultados alcançados e por consequência, de inúmeras revisões de projeto para aprimorar o plano.

Códigos de Edificação para QRDC

O desenvolvimento de um plano diretor e conceitos para edifícios e espaços abertos chave de uma parcela do Parque, um centro de pesquisa e desenvolvimento chamado QRDC, incluiu a produção de um códico que definisse os objetivos, parâmetros e estratégias que garantissem a obtenção de um empreendimento sustentável.

Aqui, a relação com o sistema LEED BD+C foi ainda mais direta. Para facilitar a futura certificação de projetos por diversas equipes independentes, o capítulo de sustentabilidade do código de edificações seguiu o roteiro colocado pelo sistema e descreve, entre suas várias estratégias, muitas se referindo ao mesmo, algumas vezes com variações para aumentar sua eficácia naquele clima especifico.

Alguns dos requisitos do código, apresentados com diagramas e texto e nomeados com relação a créditos específicos do sistema LEED BD+C, trazem especificações e sugestões que vão suportar a certificação sob LEED, como, entre outros, os seguintes.

– O uso de projeções e pórticos, assim como grupos de árvores posicionados em ordem para garantir o máximo de sombreamento dos espaços abertos

– O uso das coberturas dos edifícios e da pavimentação de espaços abertos para captação das águas pluviais, assim como o tratamento e reuso de águas cinzas nos espaços verdes

– – –

 

Renato Conde, LEED GA, Diretor-Gerente da Conde Design, é Arquiteto e Urbanista formado pela FAU Mackenzie. Ele foi Diretor de Design Urbano responsável pela América Latina na Perkins+Will de São Paulo quando, em 2015, sua equipe participou do capítulo de Sustentabilidade para as Design Guidelines de QRDC. Antes disso, Renato foi Design Leader para a revisão do Plano Diretor todo o campus de QSTP em 2012, quando ele era Associado na Woods Bagot de Dubai.

 

Voltar para Notícias